O TTIP do Pacifico não é melhor que o nosso

e igualmente anti-democrático…

O jornal La Republica do Peru publicou, em colaboração com a Wikileaks, informação sobre o capítulo sobre investimento do TPP (Acordo de Parceria Trans-Pacífico).

Neste capítulo especifica-se que as companhias poderão processar os estados quando estas perdem lucros, ou a expectativa de lucros futuros devido a conflitos sociais ou mudanças nas leis de saúde pública ou ambientais de um dado país.

Tanto o TPP como o TTIP têm sido negociados de forma pouco transparente. Os cidadãos não têm acesso aos documentos de trabalho, os próprios deputados europeus (no caso do TTIP) não têm acesso fácil aos documentos de trabalho. Já o mesmo não se pode dizer do lobistas e empresas, que têm acesso directo e até fazem sugestões sobre os conteúdos.

Pode obter mais informações sobre o TTIP em:

Anúncios

Petição sobre a dívida da Alemanha à Grécia em reparação pela invasão na II Guerra Mundial

A Grécia acabou de exigir à Alemanha o pagamento da dívida de guerra que a Alemanha não pagou.

Em 2011 circulou uma petição internacional, que o Aventar traduziu. Nessa petição explica-se as razões do gregos.

Encontrei a seguinte reflexão num comentário no reddit:

P: Isto é real? Há mesmo dívida Alemã que não foi paga à Grécia?
R: Sim, é verdade.
P: E os gregos estão mesmo à espera de ser pagos?
R: Claro que não!
P: Então para quê falar nisto?
R: Para reforçarem politicamente a respectiva posição.
P: O Tsipras é estupido?
R: Isso vamos descobrir nos próximos tempos.
P: Para quê antagonizar a Alemanha?
R: A táctica de apaziguamento seguida pelo governo anterior em relação à Merkel evidentemente não funcionou.
P: E vai funcionar esta nova táctica?
R: Não!
P: Então porquê seguir este caminho?
R: Para forçar um compromisso.

Aventar

Justification – In Detail

Germany Should Pay its Long-overdue Obligations to Greece

In the summer of 1940, Mussolini, perceiving the presence of German soldiers in the oilfields of Romania (an ally of Germany) as a sign of a dangerous expansion of German influence in the Balkans, decided to invade Greece. In October 1940, Greece was dragged into the Second World War by the invasion of its territory by Mussolini. To save Mussolini from a humiliating defeat, Hitler invaded Greece in April 1941.

Greece was looted and devastated by the Germans as no other country under their occupation. The German minister of Economics, Walter Funk, said Greece suffered the tribulations of war like no other country in Europe.

Justificação – em detalhe

A Alemanha devia pagar as suas obrigações à Grécia, há muito em dívida

No Verão de 1940 Mussolini, apercebendo-se da presença de soldados alemães nos campos petrolíferos da Roménia…

View original post mais 3.488 palavras

Tortura da CIA

Mais uma vez não se trata de novidade nenhuma, o relatório do Comité do Senado dos EUA mais não faz do que confirmar o que já se sabia há muito, graças a fugas de informação como aquelas que nos deram a conhecer os afogamentos simulados ou as torturas de Abu Ghraib.

O relatório também confirma o que qualquer pessoa minimamente inteligente já sabia: a tortura não funciona. A pessoa torturada confessa todos os crimes, reais e inventados, assina todas as confissões. Ou seja a informação recolhida é de qualidade variável e, por isso, não é de confiança.

Se ao anterior somarmos a perda de autoridade moral associada ao uso de tortura, concluímos que só criminosos muito burros usariam tais técnicas.

Continuar a ler

Acabou a guerra no Afeganistão

Aposto que não deram por ela!

A guerra vai acabando de mansinho, talvez para facilitar o retorno quando for mais conveniente.

Bases da NATO no Afeganistão passam para o exército do país Cache

  • Data: 2014-10-26 16:18
  • Fonte: Público
  • Autor: Redacção
Foi um “dia histórico” que assinala o início do fim da presença coligação internacional e da guerra contra os taliban. O desafio agora é de Cabul. Ao fim de treze anos, as bandeiras norte-americana e britânica foram arrumadas nas duas bases da coligação internacional da NATO no Afeganistão. A cerimónia assinala o fim iminente da missão, mas a retirada dos militares não vai ser feita de imediato. As duas bases militares no Sudoeste do país, Camp Leatherneck e Camp Bastion, passam agora para a administração afegã do Presidente recém-eleito, Ashraf Ghani.

Viva a República!

Imagem

bandeira_de_espanha

Dois terços dos espanhóis querem referendo à monarquia Cache

  • Data: 2014-06-08 12:37
  • Fonte: Público
  • Autor: Redacção
Sondagem mostra que apoio a um regime liderado por Felipe seria o preferido no caso de haver uma consulta. Quase dois terços dos espanhóis querem que, em algum momento, haja um referendo para que possam decidir entre a manutenção da monarquia ou a instauração de uma república, revela uma sondagem divulgada pelo jornal El País. A sondagem, confirma assim o distanciamento entre o Parlamento – onde só dez por cento dos eleitos apoia a realização de uma consulta – e os eleitores nesta matéria.