Estado já usou 19,5 mil milhões para ajudar os bancos

  • Data: 2015-09-16 18:11
  • Fonte: Público
  • Autor: Luís Villalobos
Montante foi aplicado entre 2008 e 2014, segundo uma análise do BCE. Desde o início da crise financeira, em 2008, até ao final do ano passado, o valor dao apoios do Estado português aos bancos atingiu 11,3% do PIB, ou seja, cerca de 19,5 mil milhões de euros. Os cálculos, feitos pelo Banco Central Europeu e apresentados num estudo divulgado esta quarta-feira, mostram que, entre os países da zona euro com intervenções neste sector, Portugal foi o quinto que aplicou mais dinheiro em proporção da riqueza que produz (tendo por base o PIB do ano passado).

Estado já usou 19,5 mil milhões para ajudar os bancos Cache

Os bancos não são pessoas de bem: Deutsche Bank a ser investigado

  • Data: 2015-06-09 16:53
  • Fonte: Público
  • Autor: José Manuel Rocha
Investigadores analisam transacções de clientes do banco germânico relacionadas com produtos financeiros derivados. O Deutsche Bank, que no fim de semana passado anunciou uma mudança de fundo na liderança para acalmar os investidores, recebeu esta terça-feira a visita de investigadores judiciais que foram analisar transacções suspeitas de clientes relacionadas com produtos financeiros derivados. A operação foi lançada pela procuradoria de Wiesbaden, que confirmou oficialmente as buscas na sede do banco em Frankfurt, mas não revelou os motivos da investigação.

Leia mais sobre este assunto aqui.

Os bancos não são pessoas de bem: Os documentos HSBC

Inúmeros documentos foram obtidos pela imprensa no que constitui uma das maiores fugas de informação do sector bancário. As histórias começaram ontem a ser publicadas por vários jornais, entre eles o The Guardian.

Nestes documentos contam-se histórias de fraude, de más práticas, de planeamento e ajuda à fuga aos impostos, enfim, de crimes contra os cidadãos.

Por exemplo, um banco subsidiário do HSBC tinha práticas tão edificantes como as seguinte:

  • Permitia aos clientes levantarem enormes quantidades de dinheiro sem fazer qualquer tipo de controlo;
  • Nos seus materiais de marketing anunciava a fuga aos impostos como serviço prestado;
  • Aceitava manter contas escondidas das autoridades tributárias;
  • Aceitava criar contas para criminosos internacionais.

O link que faço neste artigo é apenas a peça inicial sobre mais este escândalo, nos próximos dias ficaremos a saber mais.

Os bancos não são pessoas de bem: JPMogan paga mais uma multa

Vários bancos participaram durante anos num esquema para obter lucros indevidos através da manipulação do valor das moedas no mercado de compra e venda de moeda.

Hoje a Reuters noticia que o JPMorgan concordou em pagar 99.5 milhões de dólares para fazer desaparecer algumas acusações. É claro que um valor destes é um mero erro de arredondamento para um banco como o JPMorgan. Mais uma vez as autoridades deixam os culpados escapar.

No mínimo todos os ganhos ilícitos deveriam ser devolvidos e em cima disso o banco deveria pagar uma multa suficiente para fazer pensar duas vezes os respectivos administradores antes de perpetrarem actos criminosos. Penas de prisão para os envolvidos directamente e para os responsáveis também não me parece descabido.

Uma aula de Yanis Varoufakis

O novo ministro das finanças grego, Yanis Varoufakis, deu uma aula na Columbia University sobre o colapso económico de 2008 e a crise na euro-zona numa perspectiva histórica. Vale a pena ver para termos uma ideia de como pensam os homens que estão agora à frente dos destinos da Grécia.

Os bancos não são pessoas de bem: JPMorgam paga 9000 milhões para não ser processado

Os maiores bancos norte americanos têm pago avultadas multas devido ao seu comportamento predatório e inconsciente que ajudou a mergulhar o mundo na actual crise. As multas são grandes e parece que a justiça está a ser feita. No entanto não é bem assim, os montantes apesar de serem muito elevados não passam de trocos para estes bancos e, muito pior que isso, os crimes que foram perpetrados são escondidos, os bancos conservam por isso, até certo ponto, a sua aura de credibilidade e honra, onde não existe um átomo dessas qualidades. Além disso, as pessoas culpadas destes crimes safam-se sem um arranhão, muitas vezes recebem até bónus e, até os mais estúpidos entre eles, percebem que o crime compensa. Que incentivo têm para agir de outra forma? Quem faz uma aposta em como estes criminosos não vão reincidir? – Só um louco. Mas é exactamente o que as autoridades americanas e europeias têm feito e estão a fazer. Apostam que agora os banqueiros se vão comportar. Não admira que depois de seis anos de crise não haja luz ao fundo do túnel.

Matt Taibbi, da Rolling Stone, faz mais uma denúncia das práticas fraudulentas e mostra como foram varridas para debaixo do tapete, mostra como as próprias autoridades colaboram em toda esta fantochada. O padrão é conhecido

Os bancos não são pessoas de bem: 5 bancos multados em 4250 milhões de dólares

Mais um escândalo no mercado de divisas que não chegará às primeiras páginas dos jornais nacionais, não será discutido e sobre o qual os comentadores não comentarão…

Edição: notícia no “The Guardian”.