Sobre Helder Guerreiro

Mantenho o tretas.org, um wiki onde fazemos investigação e preparamos documentação para memória futura do que vai acontecendo em Portugal.

Estado já usou 19,5 mil milhões para ajudar os bancos

  • Data: 2015-09-16 18:11
  • Fonte: Público
  • Autor: Luís Villalobos
Montante foi aplicado entre 2008 e 2014, segundo uma análise do BCE. Desde o início da crise financeira, em 2008, até ao final do ano passado, o valor dao apoios do Estado português aos bancos atingiu 11,3% do PIB, ou seja, cerca de 19,5 mil milhões de euros. Os cálculos, feitos pelo Banco Central Europeu e apresentados num estudo divulgado esta quarta-feira, mostram que, entre os países da zona euro com intervenções neste sector, Portugal foi o quinto que aplicou mais dinheiro em proporção da riqueza que produz (tendo por base o PIB do ano passado).

Estado já usou 19,5 mil milhões para ajudar os bancos Cache

Os bancos não são pessoas de bem: Deutsche Bank a ser investigado

  • Data: 2015-06-09 16:53
  • Fonte: Público
  • Autor: José Manuel Rocha
Investigadores analisam transacções de clientes do banco germânico relacionadas com produtos financeiros derivados. O Deutsche Bank, que no fim de semana passado anunciou uma mudança de fundo na liderança para acalmar os investidores, recebeu esta terça-feira a visita de investigadores judiciais que foram analisar transacções suspeitas de clientes relacionadas com produtos financeiros derivados. A operação foi lançada pela procuradoria de Wiesbaden, que confirmou oficialmente as buscas na sede do banco em Frankfurt, mas não revelou os motivos da investigação.

Leia mais sobre este assunto aqui.

O TTIP do Pacifico não é melhor que o nosso

e igualmente anti-democrático…

O jornal La Republica do Peru publicou, em colaboração com a Wikileaks, informação sobre o capítulo sobre investimento do TPP (Acordo de Parceria Trans-Pacífico).

Neste capítulo especifica-se que as companhias poderão processar os estados quando estas perdem lucros, ou a expectativa de lucros futuros devido a conflitos sociais ou mudanças nas leis de saúde pública ou ambientais de um dado país.

Tanto o TPP como o TTIP têm sido negociados de forma pouco transparente. Os cidadãos não têm acesso aos documentos de trabalho, os próprios deputados europeus (no caso do TTIP) não têm acesso fácil aos documentos de trabalho. Já o mesmo não se pode dizer do lobistas e empresas, que têm acesso directo e até fazem sugestões sobre os conteúdos.

Pode obter mais informações sobre o TTIP em:

CMB Contratou 29,3 Trabalhadores para Tadim

Aqui está um caso a investigar. Uma pequena busca demonstra que estes valores são obscenos e inexplicáveis.

Freguesia de Tadim

pornografia-1Segundo notícia hoje publicada pelo Diário do Minho, a CM Braga paga uma renda de 14,225 euros por mês ao empreiteiro que “construiu” o relvado sintético (sendo que o campo existe há já várias décadas, e sem rendas). Ora, aceitando que não se trata de uma gralha, a este valor absolutamente pornográfico equivale dizer que a CMB – e convém destacar o papel ali desempenhado por Mesquita Machado durante 37 anos – “contratou” para Tadim 29,3 funcionários (salário mínimo nacional = 485 euros).
Simplificando: em Tadim gasta-se 1 salário/dia para o usufruto do campo sintético.

Ao fim de um ano, falamos de 170,700 euros. O contrato é de quantos anos?

Adenda: segundo o Correio do Minho de 28 de Dezembro de 2013, “este é um compromisso que se estende por um período de 25 anos.
Ora, isto são 170,700 euros x 25 = 4.267,500 euros.
Se…

View original post mais 27 palavras

Obter a legislação do dre.tretas.org – para o novo site

O primeiro problema: chegar ao texto integral dos diplomas

Tal como no site do dre.pt antigo, neste novo site existe uma forma de aceder ao texto integral usando URLs encontrados usando um motor de busca.

Por exemplo se fizermos uma busca com:

site:dre.pt inurl:maximized "Série II"

Vamos obter URLs para páginas deste género.

O URL anterior pode ser simplificado para qualquer coisa como:

https://dre.pt/home/-/dre/57968656/details/3/maximized?serie=II&parte_filter=31

Neste caso o diplomaId é 57968656.

Infelizmente o “diplomaId” não é sequencial.

Assim o problema consiste em obter este diplomaId para os documentos de cada dia.

Se consultarmos os documentos da “Parte C” da série II do DR, para um dado dia no passado recente, vamos encontrar algumas ligações com o texto:

Consultar vigência e produção de efeitos (DIGESTO)

A informação adicional obtida via estes links é muito pouca para o acesso grátis ao dre.pt. No entanto, se olharmos ao respectivo URL, identificamos o seguinte:

diplomaId=62080172

Este diplomaId corresponde ao número que nos dá acesso ao texto integral que mencionei antes! O exemplo anterior corresponde ao Despacho 14844/2014, que tem este texto integral.

O segundo problema: obter a lista dos documentos para um dado dia

PASSO 1 – O truque fundamental reside na forma como obtemos a lista dos documentos para um dado DR, a query a fazer ao servidor deverá ser do tipo:

https://dre.pt/web/guest/pesquisa-avancada/-/asearch/advanced/maximized?types=DR&dataPublicacao=<data&gt;

Daqui iremos obter uma lista de Diários da República (exemplo).

PASSO 2 – Por exemplo para o DR n.º 37/2015, Série I de 2015-02-23 o URL obtido no passo 1 é:


https://dre.pt/web/guest/pesquisa-avancada/-/asearch/66567259/details/maximized

Limpei o URL da parte da query dado que parece não ser usada para nada de útil aos nossos objectivos.

PASSO 3 – Vamos agora obter o ID único que nos dá acesso à página do digesto como referi mais acima. Cada documento irá ter uma estrutura parecida à seguinte:

<li>
<a href="/application/file/<número pdf>"> [ ... ]
<span class="rgba"><número digesto></span>
</a>
<div class="author"> [...] </div>
<div class="summary"> [...] </div>
<div class="action"><a class="clara" ...>Link para o digesto, isto é opcional</a></div>
</li>

Quando se faz a query da forma que mostrei temos uma tag span com class rgba. Se o número contido neste span for diferente do número do link para o PDF, então podemos construir links para a página do digesto com o texto integral! (exemplo para a Portaria 46/2015 que é a primeira do DR que usei como exemplo, notem que é da série I).

É simples, agora, fazer um scraper para isto.

Tanto quanto posso aferir isto funciona para todo o DR, série I e série II excepto para a parte dos contratos da série II.

Ainda sobre o HSBC

Entrevista com Hervé Falciani de onde originou o caso “Swiss leak”. Discute-se o papel da CIA no acesso aos dados do HSBC, mostra-se um pouco do sistema mafioso instalado pela finança e a forma como é utilizado para corromper a classe política.

Os bancos não são pessoas de bem: Os documentos HSBC

Inúmeros documentos foram obtidos pela imprensa no que constitui uma das maiores fugas de informação do sector bancário. As histórias começaram ontem a ser publicadas por vários jornais, entre eles o The Guardian.

Nestes documentos contam-se histórias de fraude, de más práticas, de planeamento e ajuda à fuga aos impostos, enfim, de crimes contra os cidadãos.

Por exemplo, um banco subsidiário do HSBC tinha práticas tão edificantes como as seguinte:

  • Permitia aos clientes levantarem enormes quantidades de dinheiro sem fazer qualquer tipo de controlo;
  • Nos seus materiais de marketing anunciava a fuga aos impostos como serviço prestado;
  • Aceitava manter contas escondidas das autoridades tributárias;
  • Aceitava criar contas para criminosos internacionais.

O link que faço neste artigo é apenas a peça inicial sobre mais este escândalo, nos próximos dias ficaremos a saber mais.