Os bancos não são pessoas de bem: Como a Goldman Sachs e outros bancos controlam o FED

Mais um escândalo que está a rebentar. Carmen Segarra, antiga auditora do FED, gravou dezenas de horas de conversas com os bancos e com os seus colegas no FED. Mostra-se que os auditores são conciliadores com os bancos, não criam atritos e fazem apenas o que lhes mandam, quando deviam ser inquisidores, ter pensamento crítico e usar todos os instrumentos que têm à disposição para controlar os bancos. Chamam a isto regulatory capture, ou seja o processo pelo qual os auditores são capturados pelo auditado, transformando-os assim em meros fantoches. E estamos a falar do FED, não acredito que no BdP ou BCE seja melhor.

Um dos exemplos que é exposto é o do negócio do Santander com o Goldman Sachs, processo pelo qual o GS assumia (por um fee) a posse de certos papeis do Santander, apenas o tempo suficiente para este último passar nas auditorias da respectiva entidade reguladora! Tudo normal, portanto…

Anúncios

Hiperligação

Não é nada de surpreendente, a Goldman Sachs, um dos maiores bancos de investimento do mundo, explora os seus próprios clientes, referindo-se a eles como marretas. O que é absolutamente original é ouvir estas verdades da boca de um histórico do banco. (Em Portugal passam-se coisas parecidas.)

Leia as razões da demissão de Greg Smith, pelo próprio no NYT, em inglês.