Afinal era um fardo para os contribuintes

Serão os accionistas dos bancos e os credores a pagar por futuras crises bancárias, e não os contribuintes como tem acontecido

Desta notícia do Público.

No mundo bizarro do sistema bancário isto é uma novidade. Os responsáveis europeus, depois de anos a salvar bancos falidos, muitas vezes vítimas de crimes cometidos pelos seus próprios administradores, chegaram à conclusão que os cidadãos têm, de alguma forma, ser protegidos. Óptimo!

Continuar a ler

Anúncios

Relações Portugal/Angola

As relações entre países regem-se por interesses e influências. As nobres ideias como democracia, igualdade e a simples decência são apenas usadas quando é necessário carregar em certos botões da opinião pública. O dinheiro é o arbitro final e não admite protestos.

Tendo em conta o anterior entende-se o estado das relações Portugal/Angola.

Continuar a ler

Não há atalhos para proteger a América

Desde a Segunda Guerra que a politica externa americana segue as mesmas directrizes. Com Barack Obama isso não se alterou.

Com o rebentar do escândalo PRISM, programa de recolha de informações indiscriminado da NSA, é apropriado relembrar as palavras de Obama em 2007.