Como remover o seu histórico da Web (versão Google)

By tom burke from Morgan Hill, CA, USA (Flickr) [CC-BY-2.0 (www.creativecommons.org/licenses/by/2.0)], via Wikimedia Commons

Estou-me a referir à funcionalidade que a Google oferece, onde guarda de forma automática o seu histórico de navegação, as buscas que efectuou e ainda mais dados. Esta funcionalidade até ao dia 1 de Março é estanque em relação aos outros produtos oferecidos pela Google aos seus utilizadores.

No entanto, a partir de 1 de Março os outros produtos da Google vão ter acesso a este tesouro de informação (não só à informação gerada a partir desse dia em diante, mas a todo o histórico). Esta é informação muito sensível, se tem o serviço activo pode lá encontrar indícios acerca da sua orientação sexual, preferências políticas, religião que professa, produtos que compra e em que lojas, viagens que realizou, problemas de saúde, etc. Em suma, a maior parte da sua vida on-line pode lá estar espelhada, para a maior parte das pessoas, será 100% da vida on-line.

Imagine o quanto não vale esta informação para os clientes da Google. Se tiver, por exemplo, algum tipo de doença e estiver fragilizado. E, de repente, começar a receber anúncios de curas milagrosas para a sua doença. É normal que tente a cura. É o que toda a gente faria. Não pense que este é um caso hipotético, é o que já acontece hoje em dia.

A seguir ao corte mostro como eliminar esta informação.

Continuar a ler

Anúncios

Hoje dá na net: A Cientologia e Eu

A Cientologia e Eu – A cientologia é uma organização com uma reputação tenebrosa. Nesta investigação ficamos a conhecer um pouco mais da organização. Pode obter mais informações aqui (inglês).

Este documentário está legendado em português.

Hoje dá na net: Idiocracy

Idiocracy, como já vi referido algures na Internet, este é um filme que começou por ser uma comédia e está-se a transformar num documentário (de forma acelerada). Conta a história de um americano médio que acorda 500 anos no futuro. O mundo, por essa altura, tornou-se tão idiota que ele é facilmente a pessoa mais inteligente viva. Página IMDB.

Em inglês, sem legendas.

O que as pessoas querem

Na Pública de Domingo vem um artigo sobre a necessidade de figuras públicas terem “public relations digitais” – davam como exemplos jogadores de bola e pessoas do género. Não me vou pronunciar sobre a bondade dos PRs digitais, nem sobre de quem deles tem necessidade, mas a seguinte pérola no fim do artigo fez-me sorrir:

“Henry Ford agora não
conseguiria vender um único
Ford T, pois as pessoas agora
querem carros de outras cores
e feitios e não um produto
que lhes é imposto”, conclui
Fernando Batista
[Pública de 2012-02-12]

Lembrei-me logo dos computadores da Apple, que podem ser de qualquer cor, desde que sejam da cor do alumínio! Ou da grande variedade de configurações que temos para os iphones, ipods e ipads…

O tratamento anterior não funcionou

Praça Syntagma (2012-02-12)

O tratamento anterior aplicado à Grécia não funcionou. Por isso, vamos repetir a dose e vamos esperar que funcione. Este será o terceiro pacote de austeridade. É de doidos, é óbvio que não vai funcionar.

Continuar a ler